blogdejjpazevedo

BlogdeJJPAzevedo.com

Escrito por José Joaquim

NOTA 1- O DOMÍNIO EUROPEU NO FUTEBOL

* A vitória do Real Madrid sobre o Grêmio era algo totalmente dentro da previsibilidade.

Quem analisa os números do futebol mundial tem a consciência de que o nosso Continente à partir do ano de 1996 apequenou-se nas conquistas de títulos mundiais, sejam de clubes como de seleções.

Nas últimas cinco copas, a seleção do Circo ganhou a de 2002. Em 1998 foi a França, 2006, Itália, 2010, Espanha e 2014, Alemanha.

Não existe duvida que em 2018 na Rússia, o troféu também ira ficar nas mãos dos europeus.

Os números apontam para isso.

Para que se tenha uma ideia exata dessa realidade, o Torneio de Clubes foi alargado por uma resolução da FIFA, ao considerar alguns que foram realizados entre clubes dos continentes como fosse um Mundial. De 1960 a 1995, a América do Sul ganhou 19 títulos, contra 14 dos times europeus.

Em 1975 e 1978 esse torneio não foi realizado.

Foram conquistas brasileiras, argentinas, uruguaias, e até uma do Olímpia do Paraguai.

De 1996 em diante, o mundo virou com o domínio total da Europa e de forma acachapante, com 17 títulos contra apenas 6 da América do Sul (no ano de 2000 Corinthians e Boca Juniors disputaram torneios diferentes, considerados pela FIFA), que teve em 2012 o seu último ano com o Corinthians.

Quem acompanha o futebol sem a paixão cega de um torcedor sabe muito bem que a diferença técnica e tática entre os dois continentes, tem uma abismo como o Grand Canyon separando-os.

Enquanto o Brasil afundava nesse período, a Europa conquistava o mundo, levando todos os novos talentos que apareceram no Novo Continente.

Contra fatos não existem argumentos.

Ou mudamos, ou enterramos o que resta de nosso futebol.

NOTA 2- UM MUNDIAL DE CLUBES SEM PÚBLICO

* Os Emirados Árabes Unidos organizou bem o Mundial de Clubes, mas nos gramados esse de 2017 foi um dos piores já realizados, e o mais fraco na média de público desde o ano de 2000.

Nos oito jogos que foram realizados, tivemos a presença de 132.561 espectadores, com uma média por jogo de 16.571.

O maior público foi o da partida final, entre Real Madrid e Grêmio, com 41.094 torcedores.

No jogo entre o clube merengue e o time da casa, Al Jazira, o público foi de 35.650.

No encontro entre o brasileiro Grêmio e o mexicano Pachuca, apenas 6.428 testemunhas estiveram no estádio.

Na realidade a única atração da competição era o time espanhol, que levou aos seus jogos os melhores públicos.

Em 14 anos de disputa dessa competição, somente em 2009 a média de publico foi menor do que 20 mil pagantes, mas foi superada pela desse ano.

A maior foi em 2007, com 45.982, e que foi realizada no Japão.

Os árabes tem uma boa estrutura, mas não tem tradição no futebol, e o seu maior público no Mundial desse ano só chegou ao patamar de 40 mil, por conta da torcida dos dois times.

Só a do Grêmio apesar da distância foi de 7 mil pessoas no estádio.

NOTA 3- UM CURRÍCULO EXEMPLAR

* O currículo do técnico do Real Madrid, Zinedini Zidane espanta por conta do seu curto tempo na profissão.

Começou em 2016 e está na segunda temporada.

Nesse curto período conquistou no Real Madrid oito títulos, e alguns bem importantes.

2016- Champions League-2016,

2016- Super Copa da Europa,

2016- Mundial de Clubes,

2017- La Liga,

2017- Champions League,

2017- Super Copa da Europa,

2017- Super Copa da Espanha e,

2017- Mundial de Clubes.

Algo difícil de se entender.

Inacreditável, um devorador de troféus.

NOTA 4- RAZÕES QUE IMPEDIRÃO O RETORNO DE DEL NERO

* A situação de Marco Polo Del Nero é aflitiva, e dificilmente esse voltará ao poder, desde que existem algumas razões que impedem o seu retorno.

1- Não tem vínculos com a FIFA, ao distanciar-se do órgão desde 2015, por conta de não viajar com medo do FBI,

2- A falta de aproximação com a Secretária Geral da entidade, a senegalesa Fatma Samoura, que está incomodada com o cartola,

3- O Comitê de Ética da FIFA, independente da diretoria, tem alguns componentes novos, e isso será um ponto negativo para Del Nero.

4- Esse deverá convocado para prestar depoimentos em Zurique, e como não viaja, a situação irá piorar e,

5- As punições severas contra os cartolas denunciados no Fifagate, certamente irão ser aplicadas ao brasileiro.

Dificilmente esse irá escapar de uma longa suspensão, além do que vai acontecer no Brasil, cuja panela já começou a ferver.

* Dados do blog do Perrone no UOL.

NOTA 5- O PAU CANTOU NO KART

* No último sábado foi realizada as 500 milhas de Kart Granja Viana, em Cotia, área metropolitana de São Paulo.

Um esporte caro para divertimento dos coxinhas.

Os times de Felipe Massa e Barichello participaram.

Faltando dezoito voltas para o final da competição, Tuka Rocha que disputava a liderança tentou uma ultrapassagem, foi impedido por Rodrigo Dantas, com os Karts se chocando.

De forma irônica, Dantas aplaudiu Rocha, que partiu para a briga, onde deram uma aula de UFC aos kartistas.

Na verdade a violência não escolhe lugar nem o esporte, e os pilotos se portaram como torcedores organizados.

O vídeo da briga correu o Brasil.

Uma vergonha.

Escrito por José Joaquim

O futebol brasileiro jamais em sua história teve tantos recursos disponíveis para os seus clubes. Mas a má aplicação dos milhões recebidos, refletiu no pior Brasileirão dos últimos anos.

Cada partida que presenciamos, verificamos que algo de errado vem acontecendo nesse esporte, desde que a beleza do jogo deu lugar ao grotesco.

Quando analisamos os desempenhos das equipes que disputaram a Série A, inclusive o Corinthians, seu campeão, alguns dos chamados grandes, como o Flamengo, Fluminense, Atlético-MG e São Paulo, ficamos convictos que o sistema faliu.

Onde está o dinheiro?.

Esses foram times que pouco ou nada apresentaram, alguns lutando contra o rebaixamento, confrontando tudo que se diz sobre as diferenças que os altos investimentos produzem entre os disputantes.

Um outro exemplo vem da Série B, quando o Internacional com recursos 10,5 vezes maiores do que o América-MG perdeu para esse o título de campeão.

Na economia os mais ricos sempre são os mais fortes, gritam mais alto, mas se forem bem conduzidos.

No futebol aqueles com maiores recursos se não tiverem gestões profícuas, tornam-se pequenos dentro do campo, apresentando-se de forma medíocre, desmotivando os seus torcedores.

A rotina de nosso futebol obedece um ciclo virtuoso e danoso para os cofres das agremiações. Os recursos adentram nos seus caixas, de diversas fontes, mas a má aplicação, a ausência de planejamento faz com que se esvoacem no vendaval promovido pelos cartolas.

Brinca-se no Brasil quando jogadores são contratados, com salários muito acima do limite da racionalidade, continuam brincando com contratações e demissões de treinadores com altos salários, padrão FIFA, e que produzem valiosas multas contratuais.

Hoje existem vários profissionais que não precisam trabalhar, pois as multas parceladas que recebem mensalmente lhes garantem uma vida tranquila e feliz, sem o estresse do dia a dia.

Evitam assim a síndrome da arritmia, que é a palavra da moda para os que estão no batente.

O problema maior reside no sistema amador reinante, com dirigentes incapazes de manejar os recursos, e que por vaidade não contratam gestores profissionais para fazê-lo, se atropelam e escancaram as portas para os agentes que entram no clube para tapar os buracos existentes e tornam-se donos dos bons atletas.

Trata-se de um modelo autofágico, e que aos poucos vai consumindo os clubes e apequenando o futebol nacional.

Gestão profissional é a única solução.

Escrito por José Joaquim

A história não pode ser apagada, mas pode ser esquecida, e por conta disso lutamos para a preservação na mente dos torcedores do Sport, em especial a sua nova geração, de um titulo conquistado em 16 de dezembro de 1990, consagrando clube como campeão brasileiro da Série B Nacional, retornando à divisão maior em 1991.

Foram passados 27 anos e o esquecimento é total, inclusive da parte do clube, com dirigentes que não conhecem a sua real história, e mal pensam no presente, desde que o futuro é incerto.

Na gestão de João Martorelli, esse pensou em tirar a estrela de prata do uniforme do time, como se essa não tivesse a menor importância.

Fazemos questão de citar  a conquista todos os anos, não por termos participado ativamente dessa, como dirigente do futebol, e  muito mais pelas condições precárias em que vivia o clube, não somente do lado financeiro, e em especial pela desagregação politica.

A conquista do titulo teve uma influencia importante para o Sport, desde que a continuidade na Série B o levaria ao caos, e com esse  acesso foi criada as condições de melhorar as receitas e sobretudo trouxe a união quando foi consolidada uma chapa única para o seu comando, tendo à frente Wanderson Lacerda.

Numa reunião com a presença de vários rubro-negros na residência do então presidente Luciano Bivar, foi dado o pontapé  inicial que levaria à recuperação do rubro-negro da Ilha do Retiro, e isso de fato aconteceu, quando a década de 90 foi da mais alta importância de sua vida e que o estruturou para os demais anos.

No campo de jogo, um elenco simples, formado na sua maioria por atletas da casa, ou da própria região, conseguiram apesar de tudo que aconteceu no clube, trazê-lo de volta a maior divisão do futebol brasileiro.

Jamais presenciamos um grupo tão unido como esse, e tal fato foi primordial para que os objetivos fossem atingidos.

O acesso já estava garantido no jogo contra o Guarani de Campinas, que ficou marcado pela pressão de Beto Zine presidente do time campineiro, agressões ao árbitro e auxiliares, aos atletas do Sport, que conseguiram o empate de 1x1, o necessário para o que estava programado.

A disputa pelo troféu contra o Atlético-PR, serviu para consolidar uma boa campanha, onde os empates foram maiores do que as vitórias (15x11), e apenas duas derrotas em 24 jogos.

Paulo Victor, Givaldo, Ailton, Marcio Alcântara, Agnaldo, Marcos Vinicius, Mirandinha, Joélcio, Luiz Carlos, Sergio Alves, Neco, Glauber, Neco, Lopes e outros que a memória não conseguiu relembrar, mas que estão enquadrados, sob o comando de Roberto Brida, e com o apoio extraordinário do supervisor Vulpian Novaes, que foi tesoureiro e chefe da delegação, que muito contribuiu para a conquista.

Todos no seu conjunto estão sendo homenageados, pois foram esses que deram o título ao rubro-negro, numa demonstração que a base funcionava e tinha amor a sua camisa.

Foi criada uma lenda de que os jogadores dormiram no aeroporto de São Luiz para que uma diária do hotel não fosse paga, com o objetivo de ajudar no pagamento dos salários.

Na realidade o fato aconteceu, mas a história é bem outra.

Após o jogo, o time chegou ao hotel mais de meia-noite, onde seria servido o jantar.

A delegação deveria estar no aeroporto de São Luiz às 05,00 horas, ou seja não teriam tempo para dormir. 

Recebemos um telefonema de Vulpian Novaes,  que estava junto ao técnico  Brida e de Paulo Victor representando os atletas, que nos informou que o grupo achou que seria um desperdício ficar no hotel por duas horas e pagar uma diária inteira, e que queriam seguir para o aeroporto.

Na ocasião ponderamos, desde que a imprensa estava em São Luiz, e esse fato poderia ser distorcido, quando o goleiro nos disse que a decisão foi unânime entre todos os jogadores.

A verdade foi essa, e os personagens estão vivos para confirma-la.

Sabemos que vivemos em um país de memória bem curta, facilmente apagada, e de um clube que faz questão de renegar uma conquista importante que mudou a sua história.

Lamentamos, mas fazemos o nosso papel, enquanto eles esquecem.

Escrito por José Joaquim

NOTA 1- CARRAPETA NÃO GANHA DE PIÃO

* Só aqueles que acreditam em Papai Noel achavam que o Grêmio poderia ganhar do Real Madrid na decisão do Mundial de Clubes.

Somente o narrador do Sport TV, Luiz Carlos Junior, junto com o seu comentarista Lédio Carmona achavam que ainda tinha tempo para a equipe gaúcha empatar a partida, e que essa jogava muito bem.

É necessário um oftalmologista urgente para ambos.

Infelizmente o monopólio dos direitos de transmissão dos jogos, nos obriga a passarmos por tais constrangimentos.

No outro canal a situação era pior, com Galvão Bueno.

É um sofrimento acompanhar o futebol pela televisão.

É para endoidar qualquer cidadão.

Ficamos com apenas duas opções.

Ou desligávamos o televisor, ou então baixávamos o som.

Como tinha um jogo da Premier League, ficamos assistindo os dois ao mesmo tempo, um com o som da ESPN, e o outro sem o som, o do Sport Tv. 

Foi um alivio.

Na realidade o Grêmio fingia que jogava, começou empolgado como todo time pequeno, mas caiu na realidade, e teve que se curvar perante uma equipe superior tecnicamente, que dominou a partida, com 20 finalizações contra uma do adversário, e o placar de 1x0 não refletiu o que foi o encontro. 

Carrapeta jamais ganhará do pião, e isso aconteceu.

Ganhar do Lanús, não é como vencer um clube vitorioso com bons jogadores.

Um time que Jael é a salvação realmente não tem futuro.

Sonhar é possível, mas ganhar do time merengue seria impossível.

No final Cristiano Ronaldo mostrou que é melhor do que Portaluppi, que sonhou alto em algo que não iria acontecer.

O clube merengue treinou para o jogo contra o Barcelona.

Na verdade o Grêmio é bom para o Brasil cujo futebol está numa UTI, mas compara-lo com um dos gigantes europeus só para aqueles que acham que o Lobo Mau vai comer a vovozinha.

Mais uma vez ganhou o melhor, e assim sempre será. Quando as diferenças são grandes, torna-se difícil ultrapassa-las.

Aliás esse Mundial de Clubes deveria acabar, desde que a diferença do futebol europeu para o que é praticado nos outros continentes é a mesma distância entre a Terra e Marte.

NOTA 2- O SILÊNCIO DOS NÃO INOCENTES

* Qual o clube brasileiro que se posicionou com relação a punição de Del Nero?

Nenhum.

Qual a Federação de Futebol do país que apoiou a atitude do Comitê de Ética da FIFA, suspendendo o cartola?

Nenhuma

Pelo contrário, a de nosso estado correu e saiu na frente ao publicar uma nota de solidariedade, o que é lamentável em todos os sentidos. 

Qual o patrocinador do Circo fez uma cobrança pública?

Nenhum.

Qual o Sindicato de Atletas do país que falou algo sobre o assunto?

Nenhum.

Qual a posição do Ministério Público Federal sobre o assunto?

Um silêncio total.

Os documentos estão prontos na Justiça norte-americana, e hoje só basta solicita-los, desde que já tem autorização do Superior Tribunal de Justiça.

Qual a posição da Receita Federal com relação ao crime de lavagem de dinheiro?

Até agora nenhuma. 

Infelizmente vivemos em um país que premia o corrupto, e penaliza o honesto.

É uma vergonha.

NOTA 3- A AUTOFÁGICA COPA DO BRASIL

* A Copa do Brasil sempre foi uma competição democrática, mas os interesses maiores criaram um sistema autofágico, quando nas duas rodadas iniciais a classificação é decidida em apenas um jogo, e com  a definição no caso de empate o melhor do ranking terá a passagem garantida para a segunda fase, ou seja um trucidamento de alguns clubes.

O empate só vale para um lado.

São 80 clubes, e com uma rodada apenas se transformam em 40.

Os clubes eliminados receberão R$ 500 mil por partida.

Um cala a boca.

Um outro fato interessante está na tabela da competição, quando 10 clubes de nossa região irão confrontar-se numa autofagia made in Nordeste, (Globo e Vitória, Fluminense de Feira e Santa Cruz, Náutico e Cordino, Floresta e Botafogo-PB e Ferroviário-CE e Confiança,).

No Sudeste serão quatro ceifados, no Sul e Centro Oeste apenas um.

A novidade será o fim do gol qualificado, para efeito de classificação no segundo jogo.

Na verdade era inadequado.

NOTA 4- DIEGO SOUZA E O SÃO PAULO

* Quem andou por São Paulo foi o diretor de futebol do Sport Recife, Rodrigo Barros, que por uma coincidência é o filho do presidente do clube.

Esse reuniu-se com Alexandre Pássaro, responsável por negociações no tricolor paulista. 

Trataram de valores da negociação do atleta Diego Souza e sobre o débito que ainda existe por conta da transferência de Rogério.

O clube paulista já conversou com o atacante do rubro-negro e o seu procurador Eduardo Uran já acertou as condições.

O problema está apenas no valor cobrado pelo clube de Pernambuco.

Por outro lado o novo cartola esteve no Palmeiras para tratativas sobre alguns jogadores.

Aproveitando ainda a estada na capital de São Paulo, conversou com os donos do Monte Azul, sobre a aquisição do volante Patrick cujos direitos econômicos pertencem à esse clube do interior paulista.

Por conta de tais fatos perguntamos: Para que serve o gerente de futebol do clube, que deveria estar nessas negociações, e não um aprendiz de dirigente, cujo mérito é o de ser filho do presidente.

É nepotismo latente. 

Só mesmo no futebol de Pernambuco isso poderia acontecer.

NOTA 5- UM ATROPELAMENTO EM MANCHESTER

* Vamos repetir o que estamos afirmando por um bom tempo, de que a salvação para quem gosta de um bom futebol está na Europa com seus bons jogos.

Na tarde de ontem, enquanto o Grêmio levava um passeio do Real Madrid, assistimos de forma paralela mais uma aula de futebol do Manchester City, comandado pelo técnico Pep Gurdiola.

A vítima foi o Tottenham que foi parar no hospital por conta de um atropelamento de 4x1, que poderia ter sido maior se Gabriel de Jesus convertesse uma penalidade que foi defendida pelo goleiro do time de Londres. 

Foi mais uma espetacular aula de futebol que é jogado no gramado, sem defensivismo, sem o sistema Infraero, e com troca de passes perfeitos entre os seus jogadores.

O City completou o seu 18º jogo pela Premier League, somando 17 vitórias, sendo 16 seguidas, e um empate, 52 pontos e um saldo de 44 gols.

Nos dois jogos que assistimos nesse final de semana, vimos dois jogadores do mais alto nível, em posições diferentes.

O brasileiro Marcelo que joga no Real Madrid, que é sem duvida o maior lateral esquerdo do mundo, e o armador Kevin De Bruyne, que trata a bola com carinho, faz lançamentos de 50 metros, e além disso marca bonitos gols.

Se a seleção belga chegar adiante na Copa do  Mundo da Rússia, que deverá acontecer, esse será sem duvida o craque dessa competição.

Um jogador que está acima de todos da sua posição. 

A pergunta continua: Quem vai parar Pep Guardiola?

Escrito por José Joaquim

NOTA 1- ADEUS DEL NERO

* Desde o ano de 2015 que o Comitê de Ética da Fifa enrolava nas investigações sobre Marco Polo Del Nero.

Solicitaram a sua defesa, e esse mandou-as sempre com as mesmas conversas de que era totalmente inocente com relação as acusações.

Ganhava tempo.

As provas foram surgindo durante o julgamento de Jose Maria Marin, e aos poucos esse cartola via um grande buraco se abrindo aos seus pés.

Com a quebra dos sigilos de alguns documentos, inclusive gravações, que caíram no seu colo, e as declarações finais do promotor norte-americano Samuel Nitze, que mostrou que os dois eram as principais autoridades de futebol no Brasil e para o esquema de corrupção internacional envolvendo o esporte era importante pagar suborno a ambos: ¨Se pagar os dois então você terá o Brasil¨, disse aos jurados.

Toda essa documentação foi remetida à FIFA no início da semana, que obrigou ao Comitê de Ética tomar as medidas cabíveis através da suspensão por 90 dias desse cartola, com a possibilidade de mais 45 caso não cheguem ao veredicto final nesse período.

Não temos duvida que esse é o adeus definitivo de Del Nero, já que as investigações procedidas contra Joseph Blatter, Michel Platini e Jeróme Valcke foram iguais a essa, e no final de tudo, o trio foi punido com longas penas, tirando-os do futebol.  

A suspensão do cartola irá resolver o problema do nosso futebol?

A resposta vem de imediato: Não.

Enquanto não houver uma vassourada no sistema, nas federações e nos clubes nada irá mudar,  tudo vai continuar como dantes.

O Brasil precisa de um Lord Taylor, e um governante com  força e coragem como Margareth Thatcher para resolver esse problema, já que os nossos órgãos investigativos nada fizeram até hoje, e assistem de forma tranquila o desfile de Ricardo Teixeira, Del Nero, Kleber Leite entre outros, pelo país.

Onde está a Receita Federal?

Só Freud poderá explicar tanta omissão. 

O resto é nadar e morrer afogado.

NOTA 2- NO TOP 100 DE PÚBLICO O MELHOR CLUBE BRASILEIRO FICARIA NO 41ª LUGAR

* O site Deportes & Finanzas divulgou o ranking dos cem maiores clubes da Europa com relação a média de publico. 

Entre esses apenas quatro clubes brasileiros estariam no TOP 100 europeu.

O Corinthians teria a melhor classificação, bem longe dos lideres, no 41ª lugar, com a média de 40.007 pagantes por jogo.

O segundo brasileiro seria o São Paulo com 35.228 (45º lugar), Palmeiras, com 29.668 (56º) e o Bahia, com 21.541 (98º).

O TOP 10 ficou assim composto:

1º- Borussia Dortmund- 80.860 torcedores por jogo,

2º- Bayern de Munique- 75.000,

3º- Manchester United- 74.892,

4º- Totthenham- 66.733,

5º- Real Madrid- 63.456,

6º- Atlético de Madrid- 63.234,

7º  Barcelona- 62.443,

8º Schalke- 61.057,

9º Arsenal- 59.377 e,

10º- Internazionale- 58.621.

O que chamou mais a atenção foi a posição do Barcelona, perdendo inclusive para o Atlético de Madrid.

Por outro lado a Major Soccer (MLS dos Estados Unidos), que como já mostramos em uma postagem anterior ficou bem acima da média do futebol brasileiro, teve alguns clubes superando os nossos, como o Atlanta FC (48.200) e o Seattle Sounders (43.666).

O Dallas FC que foi o de menor média de público na MSL (15.122), ficaria à frente de 15 clubes do Brasileirão.

Na comparação com o cenário da Europa, a Liga norte-americana encaixaria os seus 22 clubes entre os cem.

* Dados da Espn Brasil e do site Deportes & Finanzas

NOTA 3- O INDEPENDIENTE AJUDOU O AMÉRICA MG

* Um fato que passou despercebido e que aconteceu com o resultado do jogo entre Flamengo e Independiente da Argentina, foi o favorecimento ao América MG.

Atlético-MG, Sport e Vasco torciam para o rubro-negro carioca, e uma outra torcida desejava a sua derrota, a do Coelho mineiro. 

O resultado fez com que o América garantisse a sua presença nas oitavas de final da Copa do Brasil, o que antes estava garantido, mas por conta da possibilidade de nove times na Libertadores, essa situação seria anulada.

O Regulamento do Circo do Futebol é bem claro quando colocou uma ressalva, determinando que no caso de nove clubes classificados para a Libertadores, o campeão da Série B iniciaria a competição na sua primeira fase.

A última aparição da equipe de Minas Gerais nas oitavas foi em 1998, quando foi derrotado pelo Sport pelo placar agregado de 5x4.

Na temporada passada o time caiu na segunda fase.

A derrota do time da Gávea derrubou três times, e ajudou um por tabela que agradeceu penhoradamente.

NOTA 4- AS ESTATÍSTICAS E O GRÊMIO

* Na tarde desse sábado  (15h00 no horário de Brasilia) teremos a final desse grotesco Mundial de Clubes, quando o campeão só joga duas vezes,com a presença do Grêmio de Porto Alegre enfrentando o Real Madrid.

Nesse mundo da era da imbecilidade ouvimos algumas coisas que beiraram o ridículo, como o debate promovido pela imprensa juvenil sobre Renato Gaúcho ser ou não ser melhor jogador do que Cristiano Ronaldo.

Até aquele técnico do 7x1 deu a sua opinião, que para nós vale tanto quanto um tostão furado.

O técnico gremista foi um bom jogador, e nunca passou disso, enquanto o atacante luso é um ótimo jogador, ganhador de várias bolas de ouro como o melhor do mundo.

Trata-se de um assunto para quem não tem nada o que fazer.

Voltando ao jogo sem duvida a equipe espanhola completa é favorita para  conquista do título, e isso deverá acontecer, mas alguns dados publicados pelo jornal espanhol Mundo Deportivo, poderão alimentar as esperanças do time brasileiro.

De acordo com o periódico, desde a criação da Copa do Mundo em 2000 em quatro ocasiões houve uma final entre times brasileiros e europeus, e destas apenas o Barcelona superou o Santos em 2011.

O São Paulo venceu o Liverpool em 2005, o Internacional ganhou do Barcelona em 2008 e o Corinthians do Chelsea em 2012.

Realmente é uma boa coincidência e que o tricolor gaúcho pode se apegar para a obtenção de uma vitória. 

NOTA 5- SANTA ARROGÂNCIA

* Eduardo Bandeira de Mello era um bom técnico do BNDES que sem duvida é uma boa escola.

Mas parece que o futebol emburrece e transforma as pessoas, e o cartola foi um dos contaminados com o vírus da arrogância.

Por uma coincidência o seu clube, o Flamengo também é rubro-negro tanto quanto o Sport, como o Atlético-PR, cujos dirigentes também primam por serem arrogantes.

Numa entrevista no dia de ontem, Bandeira deu uma declaração que passou dos limites, quando analisava a barbárie que aconteceu no jogo final da Copa Sul-Americana, esse afirmou que os torcedores dio Flamengo estavam acima do bem e do mal.

São declarações desconexas como essa, que ajudam a aumentar a violência no futebol.

Quando afirmamos que o problema real do futebol brasileiro está na cartolagem, estamos com razão.

NOTA 6- A LISTA DA NOVA TEMPORADA 

* O jornalista Wanderley Nogueira, da Rádio Jovem Pan é um dos poucos no Brasil que vem acompanhando de perto o caso FIFAGATE, e as suas informações sempre batem com a realidade.

Segundo esse com o afastamento de Del Nero deverá ser iniciada a segunda temporada do escândalo do futebol mundial.

As delações com os sigilos quebrados, tornaram-se públicas, e alguns nomes estão sendo citados, e entre esses uma lista com 40 brasileiros, cujos nomes irão surgir nas mídias muito em breve.

Tem até um senador da República.

Vamos checar os nomes que estão em nosso poder, para a devida divulgação.

Será uma festa.